Foto
08/12/2017
NEGOCIAÇÃO COM SINDETUR – AGENCIAS DE TURISMO

No dia 25 de agosto de 2017, entregamos o Rol de Reivindicações ao sindicato patronal de Agencias de Turismo de Foz do Iguaçu, cuja data-base é outubro.

No dia 03 de outubro de 2017, tivemos a primeira reunião, entre sindicatos, para iniciar a negociação. De parte do STTHFI, pelos trabalhadores de turismo, foi apresentada proposta para reajuste dos salários, bem como melhoria de algumas clausulas da CCT. O sindicato patronal (SINDETUR), não quis apresentar nenhuma proposta de melhoria nos salários nem revisar a CCT conforme nossa solicitação, alegando sempre a NOVA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA! Desta reunião, foi elaborada uma ata, narrando os fatos. Após essa reunião, efetuamos varias tentativas de nova rodada de  negociação, visando renovar a CCT.

No último dia 06 de dezembro de 2017, fomos surpreendido com um comunicado do SINDETUR, de que a assembleia patronal decidiu suspender as negociações, aguardando posicionamento do departamento jurídico do sindicato.

Sem outra alternativa, solicitamos de Audiência de Conciliação junto ao Ministério Público do Trabalho como medida de continuidade de negociação do STTHFI.

Ficaremos no aguardo dessa determinação por parte do MPTb.

Foz do Iguaçu, 07 de dezembro de 2017

 

Vilson Osmar Martins

Dir. Presidente

Últimas Notícias
Notícia
21/06/2018

Trabalhadores de Hotelaria, Bares, Restaurantes, lanchonetes e Pizzarias, imobiliárias e Condomínios, Turismo e Eventos, Salão de Beleza e Entidades Filantrópicas.

Notícia
19/06/2018

Entre os dias 14 e 28 de setembro, a autorização será ampliada para todas as idades, diferentemente do que ocorria até então, quando o saque total só podia ser feito quando o trabalhador completasse 70 anos.

Notícia
12/06/2018

A falta de receita, segundo a entidade, a impediria de exercer de forma satisfatória “todos os ônus impostos em lei”. O sindicato apresentou cerca de 30 ações contra empresas da região, conseguindo vitória nesse caso específico.

Notícia
08/06/2018

Depois da agressão do Ministro do Trabalho, governo brasileiro sofre nova derrota na OIT e terá que dar explicações à Comissão de Peritos

Notícia
30/05/2018

Na ação a confederação defende que o contrato intermitente de trabalho é atípico, uma exceção ao contrato formal de trabalho, uma vez que não prevê horário fixo nem de jornada de trabalho a ser cumprida.